Mindful Sapo

Durante o feriado da semana passada, os fundadores da CWIST foram involuntariamente encurralados dentro de um cenário profissional.

Sapos postos à mesa, para proteger e garantir a segurança de parceiros e clientes, engolimos (conscientemente) muitos sapos.

Segundos depois que os engolimos, deu “tilt”! Foram sapos ou rãs que engolimos? Os sapos têm uma pele mais grossa e seca, são maiores. Rãs são mais delicados. Pata de rã é até servida nas mesas mais chiques da culinária francesa.

Seja sapo ou rã, ambos tem um valor nutricional altíssimo em proteína. Nessa metáfora, a proteína é necessária para construir músculo. Muitas vezes nos sentimos enfraquecidos ao engolir os sapos.

O importante é ter consciência do fato e do ato, e buscar construir o músculo necessário para contornar a situação.

Acompanhe nossas 3 dicas #EngolindoSapos #MindfulSapos

  1. Quando encurralado e a melhor saída é engolir o sapo, faça o antagonista do cenário assistir você abrir a boca, colocar o sapo lá dentro até engoli-lo. É engraçado, porque o antagonista invariavelmente, vai se sentir o ganhador.
  2. Já que engoliu o sapo de boca aberta com plateia, compartilhe esse ocorrido nos seus stories para conhecimento do seu público. O efeito colateral de seu ato de Mindfulness não será desprezado.
  3. Para que não aconteça de novo, esteja sempre com um estoque de sapos preparados. No próximo encontro com seu antagonista, inicie a conversa com os sapos na mesa e uma placa “Sua vez!”. Qual é o resultado da boa fé de ter engolido os sapos com uma plateia assistindo? O empoderamento é seu! A conscientização da “não permissibilidade futura” é sua.

E se seu serviço for requerido novamente, a primeira condição negocial é sua.

Mindful Business. É simples, porém difícil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *