Paradoxo do tempo

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.

– Fernando Sabino

A metodologia S.T.O.P.Strategy | Tools | Operations | People https://www.cwist.com.br/mindul-business/ criado pela CWIST para extrair a essência de seus clientes e construir soluções eficazes para que encontrem seu espaço em mercados competitivos foi por mim utilizada neste início de pandemia, com tempo finito de duração e no espaço físico que a quarentena me reservou.

Leituras e contatos com a academia, webinars, podcasts, além de conversas por celular com um grupo de pessoas especiais me levaram a inúmeras reflexões e, evidentemente conclusões sobre o tempo e o espaço, tempo de isolamento e espaço físico na quarentena, além do tempo presente, passado e futuro, para encontrar nossa inserção no mundo exterior.

A pandemia nos surpreendeu a todos, porém o tempo de resposta de cada um foi diferente. Algumas lideranças nacionais reagiram rápido, outras relutaram até admitir a gravidade do problemas e há ainda os que negam ou minimizam suas consequências. O tempo de resposta de cada um não é igual e nos mostra que somos únicos e incomparáveis, nem pior nem melhor, apenas diferentes. A diferença se evidencia no valor que cada qual atribuiu à realidade do coronavírus e a intensidade com que é ela percebida pelos diferentes atores.

 

Diferenças de Mindset

Em um contexto de complexidade eu aprendi que ações defensivas tem um custo, e o custo de não fazer nada gera perplexidade e insegurança, além de muita frustração enquanto que a abordagem do paradoxo constrói relações de confiança, gera compromissos recíprocos, une e entusiasma. Estas diferenças de mindset é que caracterizam os líderes de nações, de comunidades e de empresas, pequenas ou médias e de grandes corporações. 

O líder não faz escolhas, mas gerência paradoxos com diz Paul Ferreira – professor e diretor do Núcleo de Liderança da FDC Gestão dos Paradoxos e, ao fazer um zoom para focar na emergência se dá conta de que o seu planejamento estratégico deverá ser completamente refeito a partir de uma realidade transformada. 

A pandemia fez com que políticas públicas se tornassem universais, construindo consensos no entorno de paradoxos que colocam a iniciativa privada e o setor público em rotas de coalizão em torno de pautas mínimas:

O olhar transversal

  1. Olham a inclusão social e a segurança alimentar como se razões humanitárias não fossem prioridades em momentos de paz 
  2. Olham a preservação dos empregos e geração de renda como se a convergência de interesses do poder público e da iniciativa privada não fossem vetores do  desenvolvimento da economia de mercado 
  3. Olham a responsabilidade fiscal e o uso eficiente dos fatores de produção como se a sustentabilidade da economia não fosse o caminho da boa governança  

O que se discute há décadas se concretiza em semanas, ou seja o que mudou foi o tempo motivado pelo senso de urgência. O impacto do coronavírus na vida das pessoas tornou operacional os 17 ODS’s da agenda da ONU 2015.  Meio ambiente, ECO 92 (RJ) | Protocolo de KYOTO 97 | Acordo de Paris 2015 são alinhamentos que também se discutem a décadas e passam a ser encarados com outro olhar. Na cronologia do tempo, a saúde dos habitantes da terra ganha prioridade sobre a saúde do planeta, trata-se portanto de uma adequação à realidade transformada.

Não estaria sendo justo se não lembrasse que iniciativas construtivas para a preservação da saúde do planeta e de seus habitantes não vem sendo tomadas por alguns atores privados. Aqui merece destaque a Carta do Laurance Fink, CEO da Black Rock com base em 3 pilares Environment | Social | Governance. Larry Fink administra seu fundo com a coragem de quem acredita que o capitalismo consciente consertará o mundo  Mudanças Estruturais 

 

Sugestões:

  • Comecem do zero seu planejamento estratégico 
  • Mergulhe em seu “eu”para um reencontro com sua essência
  • Privilegie o legado ao redefinirem seu propósito
  • Valorize os benefícios socioambientais e encontrem o (ROI)² ao analisar a sustentabilidade do seu negócio

Ao buscar o norte é possível que a rota nos dirija a outro ponto cardeal e que a cartografia do nosso negócio nos coloque diante de outros acidentes geográficos, bem diferentes daqueles que nos acostumamos a superar. Muita reflexão será necessária para enxergarmos o novo. Não se acovardam diante do novo e lembrem-se que a caminho da Índia é que o Brasil foi descoberto. 

Preservem o bom humor e tenham uma atitude positiva diante da crise e, se ainda assim precisarem de um tranco, lembro que a CWIST se especializou em cartografia empresarial.

Se cuidem, #fiquememcasa e reflitam sobre o tempo, intensidade, momento, coisas e sobretudo pessoas, como o fez Fernando Sabino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *