LIDERANÇA: Muito além da Hierarquia

A pandemia do coronavírus nos tem ensinado muito sobre liderança. Subordinação, ou liderança autocrática por exemplo, destrói relações de confiança e não respeita aptidões. Este modelo que funcionou muito bem na área militar quando bens físicos e munição não podiam faltar no front de batalha se mostra desastroso quando se tem um inimigo invisível onde o isolamento é a solução mais eficiente. 

À muito este modelo deixou de ser opção para governança de nações e corporações. Os líderes autoritários desestimulam os mais competentes, muitos dos quais se demitem e os acomodados ou são demitidos ou cumprem tabela. O resultado é assistir o tempo passar e conviver com resultados medíocres. 

O presidencialismo brasileiro é exemplo acachapante de má gestão em tempos de crise: militar de formação, o presidente eleito pela maioria da sociedade perde o respeito dos seus eleitores e o ministro da saúde, de formação técnica e até então desconhecido da população se torna referência nacional e passa a ser admirado pela população. Sua personalidade firme enfrenta o presidente com argumentos técnico-científicos, sensibiliza a sociedade e unifica o país.  “Na tempestade, ao timoneiro o timão”. 

Lideranças Transversais, Gestão Matricial, Visão 360 são inúmeros conceitos e modelos de governança que ganharam relevância em tempos modernos. Concebidos para construir estratégias e controles visam inserir as organizações em mercados competitivos, executar com competência planos de ação e preencher expectativas da sociedade e de seus acionistas. A prosperidade, no entanto, só se alcança com capital humano, cujos talentos se selecionam também com metodologias comprovadas como o DISC – Dominance| Influence| Stability | Conformity, conciliando formação técnica com personalidade. É metodologia eficaz para avaliar a eficácia de estruturas existentes também utilizada pela CWIST por meio de parceiros especializados. 

Organização e hierarquia não são sinônimos.  Aplicar STOP para definir eStratégias, utilizar as ferramenTas disponíveis com eficiência e Operacionalizar plano de ação com Pessoas, cuja liderança é exercida de forma harmônica em ambiente de liberdade e respeito a todos os membros da equipe, caracterizam as empresas prósperas. 

Se cuidem, #fiquememcasa e reflitam sobre liderança, autoestima, coragem e sobretudo pessoas, suas personalidades e talentos inspirados por Jim Rohn

“O desafio da liderança é ser forte, mas não rude; ser gentil, mas não fraco; ser ousado, mas não um valentão; ser humilde, mas não tímido; ser orgulhoso, mas não arrogante; tenha humor, mas sem loucura” – Jim Rohn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *